Coração e Vida | 5 coisas erradas que fazemos todos os dias - Coração e Vida

5 coisas erradas que fazemos todos os dias

Para melhorar a saúde hoje e no futuro, alguns costumes rotineiros devem ser revistos

14.07.2017 | por Flávia Pegorin - Equipe Coração e Vida

Hábitos pouco saudáveis são manias muito ardilosas. Parecem desimportantes, algo tão corriqueiro e comum que não chega a ter qualquer implicação prática na vida diária. Mas é bom ficar atento a esses hábitos. Não raramente, atividades cotidianas que muita gente pratica podem tirar, pouco a pouco, a saúde do corpo.

Ficar singelamente sentado trabalhando causa problemas? E manter aquela amizade online tão interessante? Uma bolsa tão linda e na moda poderia fazer que mal à saúde? Pense de novo junto com as informações trazidas pelas pesquisas científicas.

1 – Ficar sentado por muito tempo

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Para alguns é uma fase – para outros, a fase nunca passa. O fato é que muita gente acaba passando tempo demais no escritório sentado, por exemplo, usando computador. Pesquisas mostram que períodos prolongados nesse modo podem aumentar o risco de doenças cardíacas, diabetes, depressão e até certos tipos de câncer. O que muitos talvez não saibam é que mesmo a meia hora de exercícios diária recomendada pelos médicos pode não reverter os efeitos nada saudáveis ​​de uma sessão de oito horas de trabalho sentado. Ficar sentado, uma posição antinatural para o corpo humano, pode cortar o fluxo sanguíneo para as pernas e pés e contorcer a coluna ao longo do tempo. Há várias maneiras de reduzir o tempo sentado ao longo do dia como, por exemplo, fazer reuniões em pé, ou colocar o laptop sobre o armário para trabalhar de pé, caminhar durante o horário do almoço e diminuir o tempo destinado à TV durante a noite. Um estudo de 12 anos realizado 17 mil pessoas no Pennington Biomedical Research Center, nos Estados Unidos, revelou que, independentemente da idade, peso ou quantidade de exercício praticado, as pessoas que passam mais tempo sentadas têm uma vida útil mais curta.

2 – Usar sapatos, roupa íntima e bolsas desconfortáveis

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

As mulheres que aceitam passar pela dorzinha discreta (ou às vezes nem tão discreta) de usar um sutiã, bolsa ou sapatos desconfortáveis ​​em nome da moda podem pensar que estão fazendo isso “só por um momento, pra ficar elegante”. Mas especialistas dizem que o desconforto de hoje pode levar a problemas para o resto da vida. Além de dor nas costas, usar um sutiã ou calcinha mal ajustados pode causar de erupções na pele até problemas gastrointestinais, como a síndrome do intestino irritável. Sobre a bolsa? Mesmo que ela seja tendência de moda ou pareça muito prática, é importante não colocar muito peso nos ombros: a ACA – American Chiropractic Association, entidade norte-americana que lida com o tema, recomenda que as mulheres não carreguem mais de 10% do seu peso corporal por longos períodos. Com relação aos calçados, conforto é vital. Sapatos ruins, apertados, podem causar degeneração nos ossos e até precipitar a necessidade de uma cirurgia da coluna vertebral. O salto alto, segundo a ACA, é o culpado mais óbvio quando se trata de risco de quedas, entorses no tornozelo, degeneração rápida das articulações nos pés e problemas com a postura.

3 – Enfiar a cabeça em tablets e celulares o tempo todo

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Podemos não pensar que estamos causando muitos danos à saúde ao passar esta quantidade de tempo enorme no “mundo do smartphone”. Mas não são só os relacionamentos interpessoais que sofrem com o apego ao aparelho. A má postura desencadeada pelo uso de dispositivos móveis, segundo estudos, está afetando milhares de pessoas, especialmente as pessoas mais velhas e também os jovens de 24 anos ou menos – que têm mais dificuldade em afastar sua atenção dos celulares mesmo por uma hora. Uma pesquisa recente realizada pela instituição de saúde britânica Simplyhealth revelou que 84% dos entrevistados entre 18 e 24 anos estavam sofrendo de dores nas costas por gastar tanto tempo com smartphone, tablet ou computador – chegando a criar, entre ortopedistas, a expressão “text neck”, ou “pescoço de quem envia mensagens”, numa tradução livre. O problema é causado pela inclinação que a cabeça toma para frente ao usar telefone celular, tablet ou dispositivos para jogos por um período prolongado. E a tensão adicional em pescoço e ombros cria tensão nos demais músculos e uma oportunidade para lesionar seriamente a coluna, causando hérnia de disco ou nervos comprimidos.

4 – Não dormir o suficiente

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Órgãos como a Organização Mundial da Saúde, ligada à ONU, e a National Sleep Foundation, de Washington DC, recomendam que um adulto saudável adote entre sete e nove horas de sono por noite. Infelizmente, as mesmas entidades estimam que 40 milhões de pessoas, apenas nos Estados Unidos, não atendam a essas recomendações. Mas, além de dificultar o desenvolvimento físico e contribuir para o risco de obesidade, não ter uma quantidade saudável de horas de sono também pode impedir o desenvolvimento neurológico. Um estudo realizado na Universidade de Uppsala, na Suécia, descobriu que ficar mesmo uma única noite sem dormir pode resultar em um aumento de moléculas que são biomarcadores para danos cerebrais. Pessoas que não dormem o suficiente, mostram diversas pesquisas, têm maior risco de desenvolver diabetes, pressão arterial elevada e muitos outros problemas de saúde.

5 – Beber coisas açucaradas

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Nos dias de hoje, muita gente já compreendeu que uma dieta que tem os refrigerantes como algo corriqueiro não é saudável. Mas alguns talvez ainda não saibam a extensão do dano que ser viciado em açúcar tem na saúde. Por exemplo: as pessoas que bebem uma lata de refrigerante por dia aumentam o risco de sofrer um ataque cardíaco em 20% de acordo com um estudo recente da Universidade de Harvard. A quantidade de açúcar em uma única lata de refrigerante, 10 colheres de chá, bem mais de 100% da ingestão diária recomendada (de seis colheres), também pode aumentar o risco de complicações pulmonares como asma e transtorno pulmonar obstrutivo crônico. Às vezes, pode parecer um hábito inofensivo, mas basta fazer as contas: em um ano, beber apenas um refrigerante por dia se torna, no final, algo como comer 13 sacos de açúcar refinado. Um estudo no norte-americano New England Journal of Medicine acompanhou 120 mil adultos por duas décadas e descobriu que as pessoas que consumiam uma bebida açucarada uma vez por dia ganhavam peso extra rapidamente e tendiam mais a ter diabetes, ataques cardíacos e gota (uma forma de artrite).

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.