Coração e Vida | Alimentação vegetariana para crianças é indicada? - Coração e Vida

Alimentação vegetariana para crianças é indicada?

Atenção e acompanhamento adequado são essenciais, entenda!

18.12.2017 | por Thassio Borges - Equipe Coração e Vida

A opção por ser vegetariano atualmente já é muito mais aceita do que há algumas décadas. Além disso, o mercado parece, aos poucos, perceber o aumento no número de pessoas adeptas ao estilo de vida e oferece cada vez mais produtos e restaurantes especializados no vegetarianismo.

Especial do mês: Que venham as festas de fim de ano e as férias também…
Olho aberto com os pequenos

Você sabia… Que crianças com animais de estimação são mais felizes?
Artigo – Chegaram as férias: e agora, como melhor aproveitar o seu tempo e o das crianças?

Um dos principais dilemas de quem é vegetariano, no entanto, diz respeito à adoção deste estilo de vida junto aos próprios filhos. Com receio de prejudicar o desenvolvimento de crianças e adolescentes, há quem opte por não adotar o vegetarianismo de forma integral dentro de casa.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Em alguns casos, no entanto, é quase impossível dissociar a alimentação dos pais àquela oferecida aos filhos, seja por motivos religiosos ou até mesmo pelos princípios de cada família.

De acordo com a nutricionista Simone Ferraz, a escolha pelo vegetarianismo acaba sendo uma decisão familiar, influenciada por diversos motivos, inclusive religiosos.

Para ela, é possível que um bebê ou uma criança sejam vegetarianos ao mesmo tempo em que tenham uma alimentação equilibrada e saudável.

“A recomendação é que a criança seja acompanhada por um especialista, pois alguns nutrientes essenciais para o desenvolvimento e crescimento devem ser incluídos através de fontes vegetais ou suplementos, pois crianças vegetarianas alimentadas inapropriadamente, com dietas muito restritivas, apresentam grande risco de deficiência nutricional”, explica.

O essencial, portanto, é o acompanhamento médico. Mas há quem veja problemas na adoção do vegetarianismo para crianças.

Para a endocrinologista Claudia Cozer Kalil, coordenadora do Núcleo de Obesidade e Transtorno Alimentar do Hospital Sírio-Libanês, a principal preocupação está ligada à perda de nutrientes essenciais ao crescimento.

“Não [é positivo que uma criança seja vegetariana], porque vitaminas como ferro, B12 e proteínas precisam ser respostas para evitar falhas no crescimento e desenvolvimento. Ser vegetariano desde cedo necessita acompanhamento nutricional e pediátrico”, ressalta, apontando ainda possíveis riscos para este cenário.

“Carência vitamínica, prejuízo no crescimento estrutural, anemia, enfraquecimento/fadiga, ossos fracos, alterações de mastigação e deglutição”, explica.

A médica ressalta, no entanto, que todos esses problemas dependem do grau de restrição e da falta de supervisão. Ou seja, não irão necessariamente ocorrer com todas as crianças vegetarianas, mas é preciso cuidado.

Simone destaca também que a criança vegetariana poderia desenvolver carência de vitaminais e minerais caso não tenha uma dieta equilibrada. Isso, no entanto, pode ocorrer com qualquer criança que não tenha uma alimentação adequada, independentemente de ser ou não vegetariana.

Dessa forma, a nutricionista aponta os componentes nutritivos que merecem mais atenção e indica onde podem ser encontrados.

– Vitamina B12: encontrada em alimentos fortificados ou suplementos;

– Ômega 3: encontrado no óleo de linhaça ou suplementos;

– Proteína: encontrada nas leguminosas e nas castanhas;

– Ferro: encontrado nos vegetais verde-escuros, no melado-de-cana, nas castanhas e nas leguminosas;

– Cálcio: encontrado nos vegetais verde escuros e gergelim.

Se deseja aplicar o vegetarianismo em seu filho, portanto, não deixe de consultar um médico e/ou especialista. “As dietas vegetarianas, quando atendem às necessidades nutricionais individuais, podem promover o crescimento, desenvolvimento e manutenção adequados e podem ser adotadas em qualquer ciclo de vida”, completa a nutricionista.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.