Coração e Vida | Energético e álcool: uma mistura perigosa - Coração e Vida

Energético e álcool: uma mistura perigosa

A combinação das duas bebidas aumenta o risco de acidentes e lesões

1.06.2017 | por Camila Sotério - Equipe Coração e Vida

O consumo de bebidas alcoólicas, como vodca e whisky, misturados com energético, é comum entre os jovens.

A combinação, à primeira vista, pode parecer boa, já que o energético, além de mascarar o sabor das outras bebidas, dá mais energia para curtir a festa. Mas não é bem isso o que acontece.

Recente pesquisa da Universidade de Victoria, no Canadá, aponta que essa combinação aumenta a possibilidade de acidentes e brigas, uma vez que a cafeína presente nos energéticos faz com que as pessoas se sintam mais despertos e propensos a beber mais.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Os cientistas responsáveis pelo estudo identificaram correlação entre consumo de álcool e energéticos e aumento nos riscos de acidentes e brigas em 10 das 13 pesquisas publicadas entre 1981 e 2016 que foram analisadas.

“A cafeína e a taurina, estimulantes presentes nos energéticos, disfarçam os efeitos do álcool, ou seja, ocultam a sensação depressiva do álcool. Esse efeito aumenta o risco de intoxicação e inclusive de morte por excesso de álcool, já que a pessoa não tem noção do quanto já bebeu”, alerta Arthur Guerra de Andrade, coordenador do Núcleo de Álcool e Drogas do Hospital Sírio-Libanês, presidente executivo do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA), além de psiquiatra e especialista em dependência química.

Para se ter uma ideia, uma lata de 250 ml de energético contém 80 mg de cafeína, quase três vezes mais que uma lata de coca-cola e o equivalente a uma caneca de café.

Dados do Levantamento Nacional sobre Uso de Álcool, Tabaco e Outras Drogas, realizado pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas em 2010 com universitários das 27 capitais brasileiras, mostraram que 74% dos entrevistados relataram já ter consumido bebidas energéticas juntamente com álcool pelo menos uma vez na vida.

Entre aqueles que admitiram o uso combinado de energéticos e bebidas alcoólicas, 90% relataram o consumo nos últimos 30 dias, dos quais 5% consumiram esta combinação diariamente ou em uma frequência de 2 a 3 vezes por semana.

“Essa prática, mais frequente entre os jovens, vem sendo foco de pesquisas devido à sua associação com o aumento dos riscos à saúde e prejuízos acadêmicos”, afirma Andrade.

Inicialmente, o álcool causa euforia e desinibição. Com a ingestão de mais doses, a bebida atua como depressor do sistema nervoso central (SNC), e compromete funções vitais do corpo como: controle da temperatura, respiração e batimentos cardíacos.

O especialista destaca ainda que os jovens estão mais expostos aos riscos da combinação álcool e energéticos. Além disso, os riscos que essa mistura causa à saúde são potencializados em populações mais vulneráveis, como adolescentes, mulheres grávidas, idosos, pessoas com estado de saúde geral comprometido e pessoas com sensibilidade à cafeína.

O efeito depressor do álcool é mascarado pelo energético, podendo colocar a pessoa em risco.

“O indivíduo pode beber mais do que pretendia. Além de aumentar a probabilidade de intoxicação, ocorre um aumento do comportamento de risco, como dirigir embriagado, ter relação sexual sem preservativo ou consentimento, violência e utilização de outras drogas”, destaca o especialista.

Além da combinação não ser recomendada, o consumo consciente de bebidas alcoólicas é importante tanto para o bem-estar como para a saúde.

Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), não há níveis seguros para o consumo de álcool, podendo acarretar riscos à saúde se a pessoa beber mais de duas doses por dia e mais do que cinco vezes na semana.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.