Coração e Vida | Medidas caseiras para acabar com o soluço - Coração e Vida

Medidas caseiras para acabar com o soluço

Contração involuntária do diafragma causa desconforto em adultos e crianças

13.09.2017 | por Thiago Fraga - Equipe Coração e Vida

A situação é extremamente comum e, geralmente, simples de ser controlada. O soluço ocorre graças a uma contração involuntária do diafragma, o músculo que separa o tórax do abdome, junto com o fechamento da glote, impedindo a entrada do ar para os pulmões, emitindo um som típico. Na maioria dos casos é transitório e desaparece espontaneamente.

O britânico Christopher Sands não teve essa sorte. Ele conviveu com o desconforto por três anos. Reportagem da BBC relatou que o jovem, na época com 25 anos, enfrentava dificuldades para comer e dormir. Inicialmente, os médicos imaginavam que um refluxo gástrico era a causa do problema.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Ao participar de um programa de televisão no Japão, Sands realizou uma bateria de exames e descobriu que tinha um tumor no cérebro. Ele foi operado e teve o problema resolvido.

De acordo com o médico Eli Kahan Foigel, secretário geral da Federação Brasileira de Gastroenterologista, na maioria dos pacientes não há uma causa aparente para o soluço. A literatura médica lista alguns motivos, como alimentos muito quentes passando pelo esôfago, excesso de ar no estômago, comer rapidamente e súbita mudança de temperatura.

Para quem consome bebida alcoólica um pouco além da conta e passa a soluçar, o médico afirma. “Não existe uma relação direta e não se acredita que seja uma causa.”

Existem inúmeras formas de acabar com o espasmo. Para o especialista, manter a calma é importante.

“Na vasta maioria dos casos não é necessário fazer nada, o incômodo passa rapidamente ou em poucas horas. Pode-se usar algumas medidas caseiras, como ingestão lenta de água gelada, prender a respiração por breves momentos, expirar e repetir 3-4 vezes a cada vinte minutos e gargarejos com água fria”, aconselha.

Por outro lado, métodos pouco comuns, como provocar susto em quem está soluçando, devem ser evitados. Caso o incômodo não desapareça, o ideal é procurar atendimento médico.

No caso das crianças, o soluço é relativamente comum e pode estar relacionado ao fato do seu desenvolvimento não estar completo. O tratamento é similar ao dos adultos. “Na maioria das vezes, mamar resolve o desconforto”, explica o gastroenterologista.

O soluço deixa de ser considerado normal quando não desaparece em algumas horas ou quando acompanhado de outras condições, como asma brônquica, doença do refluxo gastroesofágico, diabete, alterações neurológicas, stress, depressão ou efeito colateral de algum remédio.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.