Coração e Vida | Pilates melhora postura e condicionamento físico - Coração e Vida

Pilates melhora postura e condicionamento físico

Cada vez mais popular, prática une fundamentos da medicina oriental e ocidental

25.10.2017 | por Thiago Fraga - Equipe Coração e Vida

Cansado das dores nas costas causadas pela rotina em frente ao computador, Renato Medeiros, 29 anos, resolveu buscar tratamento. Pesquisando na internet, encontrou no Pilates a resolução para o problema.

“Em apenas três meses já senti uma diferença significativa na postura. As dores diminuíram consideravelmente e sinto que estou melhorando tanto minha força como a mobilidade. De quebra, dois quilos já ficaram para trás.”

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Cansado do ambiente das academias, o designer gráfico hoje prefere se esticar nas camas móveis a perder tempo levantando halteres. “O ambiente é menos intimidador e mais tranquilo”, compara.

A coluna vertebral apresenta curvaturas fisiológicas naturais, como as lordoses cervical e lombar, que podem estar mais acentuadas em relação ao padrão anatômico, caracterizando desta forma, uma patologia, gerando dor e desconforto.

“O Pilates é indicado justamente por atuar no alívio das dores e dos sintomas causados, atuando no fortalecimento da musculatura enfraquecida, focando sempre na estabilidade e também no alongamento que auxilia a flexibilidade e a mobilidade, associando exercícios para o abdome, importante estabilizador da coluna”, explica o fisioterapeuta Antony Miassi.

A prática foi criada pelo alemão Joseph Hubertus Pilates (1880-1967), que sofria de raquitismo, asma e reumatismo. Temendo um futuro em uma cadeira de rodas, o jovem começou a estudar anatomia, fisiologia e fundamentos de medicina oriental por conta própria.

Aos poucos, desenvolveu exercícios em aparelhos e tornou-se percussor das técnicas que estão se tornando cada vez mais populares.

“O método leva em conta a individualidade de cada um. As aulas são planejadas de acordo com as necessidades e o desenvolvimento dos praticantes”, explica a professora de Pilates Adriana Pincinato.

Na comparação com outras atividades físicas, o gasto calórico em uma aula de Pilates pode parecer pequeno. Enquanto uma hora de zumba queima 600 calorias, os exercícios de coordenação e força consomem, em média, 179.

A recompensa, no entanto, aparece no espelho. “O tônus muscular apresenta uma melhora considerável, graças ao exercício de força. Diferente da academia, que trabalha um grupamento de músculos a cada sessão, o Pilates trabalha o corpo inteiro”, destaca Adriana.

Os resultados aparecem com a máxima contração dos músculos. O método é baseado em seis princípios: centro de força, concentração, controle, fluidez, precisão e respiração.

Crianças, gestantes e idosos podem praticar, respeitando as particularidades. Com a popularização da prática, é importante procurar locais com instrutores preparados. No Brasil, profissionais habilitados para dar aula de Pilates são aqueles formados em educação física ou em fisioterapia.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.