Quer dormir bem? Estudo indica que as atividades físicas contribuem

Caminhada, pilates ou até atividades como jardinagem são aliados poderosíssimos do sono de qualidade

17.08.2016 | por Coração e Vida

Os dias andam agitados, com toda certeza, e não são poucas as pessoas que reclamam das noites mal dormidas. Insônia, sono leve e sobressaltado, pesadelos: imagina poder se livrar de tudo isso de uma maneira até que bem simples? Pois os pesquisadores da escola de medicina da Penn State, a Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, estudaram e decretaram: esportes como caminhada, ciclismo, aeróbica, pilates ou atividades como a jardinagem são, acima de outros hábitos, a melhor maneira de ganhar um sono de qualidade.

Especial do mês: Uma Olimpíada por dia
Inspire-se no espírito olímpico e não fique parado

Ortopedista explica lesões mais comuns no esporte
Exercícios físicos são fortes aliados contra a asma, diz estudo
Artigo: Em tempo de Olimpíadas – Um bom momento para deixar o sedentarismo

Você sabia… Que a atividade física pode contribuir para sua saúde mental?

O chá quente, o leite frio, o banho morno – tudo o que costuma ser recomendado pela sabedoria popular – pode dar aquela ajuda simpática, mas nada vence certos tipos de atividade física.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Curiosamente, não vale qualquer esforço físico: os pesquisadores, em sua conclusão, alertam que cuidar dos trabalhos domésticos ou mesmo das crianças não adianta. Isso, inclusive, gera um sono pior.

Exercícios sempre foram atrelados a um sono melhor, mas o estudo, comandado pelo professor de psiquiatria e membro do Centro do Sono e Neurobiologia Circadiana da Penn State, Michael Grandner, esmiuçou em profundidade quais atividades, exatamente, são mesmo capazes de nos fazer dormir melhor.

Usando dados sobre sono e atividades físicas de quase 430 mil adultos cadastrados no sistema de vigilância de fator de risco comportamental (registros do Centro onde trabalha a equipe), os pesquisadores da Penn State mediram tipos de atividades associadas à quantidade de sono.

Os entrevistados foram perguntados sobre que tipo de ações eles passaram mais tempo fazendo no mês e a quantidade de sono que tiveram em um típico período de 24 horas.

Estudos anteriores já haviam mostrado que as pessoas com menos de 7 horas de sono diários estão em maior risco para problemas de saúde. No levantamento da Penn, o professor Grandner notou que a caminhada é associada ao sono suficiente, seguida pela aeróbica/ginástica, ciclismo, jardinagem, golfe, corrida, levantamento de peso e ioga/pilates.

Pessoas que informaram como atividade os cuidados domésticos – faxina ou cuidados com crianças – mostraram mais casos de sono insuficiente.

“Embora pesquisas anteriores já tivessem mostrado que a falta de exercício está associada com sono pobre, os resultados desse estudo foram surpreendentes”, disse Michael Grandner.

“Não só o estudo mostra que aqueles que têm a simples caminhada como exercício são mais propensos a dormir melhor, mas esses efeitos são fortes também para atividades com maior propósito, como a jardinagem.”

Para o professor, foi interessante ver que as pessoas que têm como principal atividade o trabalho doméstico e de cuidados infantis eram as mais propensas a experimentar o sono insuficiente.

“Agora sabemos que a nossa casa e as atividades dela são algumas das principais razões pelas quais pessoas perdem o sono”, completa.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.