Coração e Vida | Quando suspeitar que seu filho está com algum problema no coração? - Coração e Vida

Quando suspeitar que seu filho está com algum problema no coração?

14.12.2016 | por Coração e Vida

Por Estela Azeka

O coração é o órgão que leva os nutrientes para todo o corpo humano. Desta forma, ele deve estar funcionando adequadamente para poder exercer o seu trabalho de forma ideal.

Especial do mês: Por uma maternidade mais livre
Você sabia… Que a alimentação saudável deixa as crianças mais inteligentes?

Do ponto de vista cardiovascular, o cuidado materno inicia-se já no período pré-natal, com alimentação, prevenindo processos infecciosos; e evitando o uso de drogas, principalmente no primeiro trimestre da gravidez, para não afetar a formação e o desenvolvimento dos órgãos.

Estela Azeka é livre-docente da FMUSP e médica assistente do Instituto do Coração (InCor)

Estela Azeka é médica assistente do InCor

As principais cardiopatias na criança são: as congênitas, que são cardiopatias com anomalias na estrutura do coração; e as adquiridas, por conta de uma infecção no músculo do coração, chamada de miocardite.

Crianças portadoras de cardiopatia podem não apresentar sintomas inicialmente. No entanto, com o passar do tempo, pacientes assintomáticos podem tornar-se sintomáticos.

É importante observar a presença de alguns sinais e sintomas na criança para detectar a cardiopatia o mais precocemente possível. Assim, as investigações diagnósticas e terapêuticas poderão ser realizadas de forma mais eficaz.

Os indicativos vão depender da faixa etária em que a cardiopatia se manifesta, mas podem ocorrer, por exemplo, dificuldade de ganho pôndero-estatural, infecções pulmonares de repetição e cansaço às mamadas.

Podem ocorrer também cianose dos lábios e das extremidades e crises de hipóxia, uma situação emergencial onde o paciente necessita de cuidados hospitalares.

Outros sinais são palpitações, sudorese às mamadas, palidez, edema, sincope e dor precordial, que devem ser avaliados inicialmente pelo pediatra. Havendo uma suspeita maior, o pediatra encaminhará a criança ao cardiopediatra.

De uma forma geral e resumida, recomenda-se que a investigação da cardiopatia na criança seja realizada quando a mãe notar a presença de alguma das queixas acima citadas.

Nesta situação, um exame físico minucioso pode detectar a presença de sopro cardíaco, e o auxílio de exames laboratoriais, como radiografia de tórax, eletrocardiograma e ecocardiograma com doppler colorido, possibilitarão a melhor conduta terapêutica a ser tomada, evitando, desta forma, a evolução natural da cardiopatia e suas eventuais complicações.

* Estela Azeka é livre-docente da FMUSP e médica assistente do Instituto do Coração (InCor)

Deixe seu comentário

1 comentário

  1. Wagner disse:

    Excelente artigo, parabéns Deus te abençoe!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.