Coração e Vida | Guia alimentar: Ministério da Saúde lança nova diretriz para crianças menores de dois anos

Guia alimentar: Ministério da Saúde lança nova diretriz para crianças menores de dois anos

Mais consumo de alimentos in natura, menos de alimentos processados e zero açúcar. E há novidades. Confira:

19.11.2019 | por Equipe Coração e Vida

 

Menina e arco-íris de frutas e legumes frescos crus shutterstock

Menina e arco-íris de frutas e legumes frescos e crus. Ministério da Saúde é taxativo: mais alimentos in natura e zero açúcar FOTO: shutterstock

O Ministério da Saúde lançou, no dia 13 de novembro, o novo Guia Alimentar para crianças brasileiras menores de dois anos. A cartilha, que não era atualizada desde 2002 (sendo revisada em 2010), traz recomendações baseadas no que existe de mais atual e científico sobre alimentação infantil. Entre as indicações para a faixa etária permanece a de zero açúcar e a de não consumo de alimentos ultraprocessados.

Mais:
10 dicas para diminuir o consumo de açúcar e sal

Entre as novidades desta edição estão também as recomendações de consumo com base no nível de processamento do alimento e não com foco apenas em nutrientes; dicas de culinária (inclusive para vegetarianos) direitos relacionados à alimentação infantil, e a alimentação como um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto. O Guia também mostra diversas sugestões de cardápios para as crianças, receitas e, como praxe, incentiva a amamentação exclusiva até os seis meses de vida.

As recomendações seguem o que já é pregado pelas sociedades de pediatria. Pediatra do Hospital Israelita Albert Einstein, Eduardo Troster explica que hoje já se sabe que é de extrema importância que a criança tenha uma alimentação saudável em seus primeiros mil dias, período que engloba a gravidez e os dois primeiros anos de vida. O leite materno, por exemplo, passa para o bebê uma quantidade importante de anticorpos e glóbulos brancos que ajudam a prevenir infecções e alergias.

Mais:
Saúde na cozinha: bolinho de banana sem açúcar para fazer no micro-ondas

“Além disso, evitar doces e altas quantidades de sal é um jeito de educar o paladar da criança para que ela não cometa excessos e não desenvolva problemas de saúde”, afirma o médico.

A nutricionista Thais Cardeal afirma que a atualização do guia está baseada nos estudos mais recentes sobre nutrição infantil. Para ela, a cartilha é completa e pode e deve ser consultada pelos pais.  “As escolhas alimentares nos primeiros anos de vida são decisivas para o desenvolvimento e formação de hábitos da criança. Ao ter contato com alimentos naturais e saudáveis, a criança tem mais chances de desenvolver o gosto por eles”, explica a especialista.

Desde os primeiros anos de vida, as crianças estão consumindo pouca variedade de alimentos saudáveis e estão sendo expostas muito cedo a alimentos ultraprocessados (biscoitos recheados, salgadinhos de pacote, bebidas açucaradas e outros ricos em açúcar, sódio e gordura) que podem prejudicar a saúde e causar doenças crônicas.
Link para download gratuito: Guia Alimentar Para Crianças Menores de 2 anos

Mais:
Crianças: 250 milhões serão obesas em 2030, indica estudo

 

Veja abaixo a lista com 12 passos para uma alimentação saudável:

– Amamentar até 2 anos ou mais, oferecendo somente o leite materno até 6 meses.
– Oferecer alimentos in natura ou minimamente processados, além do leite materno, a partir dos 6 meses.
– Oferecer água, ao invés de sucos, refrigerantes e outras bebida açucaradas.
– Oferecer a comida amassada após os 6 meses, quando a criança começar a comer outros alimentos além do leite materno.
– Não oferecer açúcar nem preparações ou produtos que contenham açúcar à criança até 2 anos de idade.
– Não oferecer alimentos ultraprocessados para a criança.
– Cozinhar a mesma comida para a criança e para a família.
– Zelar para que a hora da alimentação da criança seja um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto junto da família.
– Cuidar da higiene em todas as etapas da alimentação da criança e da família.
– Oferecer à criança alimentação adequada e saudável também fora de casa.
– Proteger a criança da publicidade de alimentos.

 

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.