Coração e Vida | 6 erros que prejudicam a beleza e a saúde

6 erros que prejudicam a beleza e a saúde

Alguns hábitos comuns no dia a dia não só prejudicam a pele, mas também podem refletir na saúde do corpo; entenda

30.10.2018 | por Eli Pereira - Equipe Coração e Vida

Quem não gosta de um longo banho quente, ou se esquece de passar protetor solar ao sair de casa, todas as manhãs? Saiba que hábitos simples como esses não só podem prejudicar a beleza da pele, mas também refletem na saúde do corpo. A dermatologista Adriana Vilarinho e o clínico geral Paulo Camiz, do Hospital das Clínicas de São Paulo explicam quais são eles, para que possamos evitá-los.

Exagerar no álcool, por exemplo, pode prejudicar tanto a pele com o corpo - Foto: Shutterstock

Exagerar no álcool, por exemplo, pode prejudicar tanto a pele com o corpo – Foto: Shutterstock

Tomar banho quente e demorado: Adriana explica que a água quente resseca a pele, e que isso pode inclusive provocar coceira na pele. “Para quem tem dermatite, pode piorar a condição. O ideal é usar água mais morna”, aconselha.

Para a saúde, o clínico geral explica que a água quente desvia o fluxo da circulação para a pele, que é o maior órgão do corpo humano. “Com isso, dificulta-se a digestão. Além disso, se a pessoa tiver tendência a ter pressão baixa, pode faltar sangue em áreas mais nobres do corpo, como o cérebro, e isso ocasiona tontura e a pessoa pode até desmaiar”, explica o médico. O ideal é sempre tomar banho em uma temperatura mais amena.

Comer muito açúcar: o problema é que o açúcar aumenta a glicação, um processo que acontece quando a molécula de glicose se une ao colágeno ou à elastina, que são duas proteínas responsáveis por manter a firmeza e jovialidade da pele. Quando isso acontece, a molécula de açúcar prejudica o colágeno e a elastina, aumentando a chance a pele enrugar, bem como perder a elasticidade característica.

Para o organismo como um todo, o excesso de açúcar é prejudicial, porque o corpo armazena o excedente em forma de gordura. “Isso pode afetar tanto o peso, sobrecarregando as articulações, como o metabolismo. O acúmulo de gordura pode gerar o diabetes, pode se distribuir para os órgãos internos e até mesmo causar a cirrose do fígado”, explica o médico, lembrando que é preciso ter moderação para consumir açúcares.

Dormir pouco: a falta de boas horas de sono altera a liberação do hormônio do crescimento, além de outros outros, como o cortisol, e acelera o envelhecimento da pele como um todo, explica Adriana Vilarinho.

O clínico geral explica que dormir pouco ou dormir mal também traz consequências para a saúde. “É preciso ficar atento tanto para a quantidade como para a qualidade. Quem dorme pouco – ou mal – terá problemas de concentração e de memória”, diz Camiz.

“O sono insuficiente pode descompensar doenças metabólicas, como pressão alta, diabetes, além de aumentar riscos para arritmias cardíacas e, consequentemente, infarto e AVC”.

Leia mais: Apneia do sono atinge cerca de 30% dos paulistanos

Exceder-se no álcool: assim como o excesso de açúcar, o álcool aumenta consideravelmente a liberação de radicais livres e acelera muito o envelhecimento, alerta a dermatologista. Além disso, explica Camiz, o abuso do álcool é tóxico para o corpo.

“Lembramos primeiro do fígado, mas o pâncreas e o coração também são afetados. Há risco de problemas nutricionais também, já que o álcool atrapalha a absorção de algumas vitaminas”.

Leia também: Os efeitos da bebida alcoólica no cérebro

Esquecer o protetor solar: é um pecado que custa caro no futuro, já que o excesso de sol causa envelhecimento da pele e também pode aumentar o risco de câncer de pele. Uma das formas de se proteger é usando o protetor solar diariamente. “Por causa da ação dos raios ultravioletas na pele, toda a estrutura celular é alterada, bem como o metabolismo celular. Há também aumento da liberação de radicais livres”.

Beber pouca água: não adianta, é preciso hidratar-se com frequência. Beber pouca água altera o metabolismo das células, desidratando a pele, afirma Adriana. Com a desidratação constante, inevitavelmente vem o envelhecimento da cútis.

Para o organismo, o clínico geral explica que o principal problema está relacionado ao funcionamento dos rins. “Os rins gostam de líquidos. Se a pessoa ficar mais desidratada, esse órgão sofre consequências. Além disso, a desidratação pode afetar na fluidez do sangue, fazendo com que ele fique mais concentrado. Quem tem pressão mais baixa, também pode ser afetado pela falta de água”.

Leia mais: 6 sinais de que você bebe pouca água

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.