Coração e Vida | Sol é importante na regulação do sono - Coração e Vida

Sol é importante na regulação do sono

Médico explica como exposição à luz natural é fundamental para o bom funcionamento do chamado ‘ritmo circadiano’. Entenda:

3.06.2019 | por Equipe Coração e Vida
gregory-pappas-734927-unsplash

A privação do sono pode trazer cansaço, perda de memória, obesidade e risco de doenças cardiovasculares. Foto: Unsplash

Menos luzes do celular na hora de dormir, e mais luz do sol durante o dia. Essa combinação pode fazer você dormir mais e melhor. Um estudo de 2014, realizado com trabalhadores mostrou que indivíduos que tinham janelas em seu local de trabalho e, portanto, estavam mais expostos à luz do sol, apresentam hábitos de sono mais saudáveis e um melhor bem-estar geral, em comparação com aqueles que passam o dia inteiro trancados em ambientes fechados. Isso acontece porque a exposição à luz solar ao longo do dia equilibra o chamado ‘ritmo circadiano’, ou relógio biológico — período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia o ciclo biológico de quase todos os seres vivos, sendo influenciado principalmente pela variação de luz.

É esse ciclo o responsável por “avisar” ao nosso organismo e metabolismo que durante o dia devemos estar despertos e que a noite serve para o descanso. Quando o Sol se põe e a luz vai embora, a melatonina, ou o chamado  “hormônio do sono”, começa a ser produzida (pela glândula pineal, localizada no cérebro). É este hormônio que induz o cérebro a sentir sono, ao sinalizar ao corpo sobre quando é dia e quando é noite. Por isso a importância de desligar os dispositivos eletrônicos na hora de dormir.

“As luzes artificias também inibem a produção de melatonina, que prepara o corpo para o sono. A privação do sono pode trazer além de cansaço, perda de memória, obesidade e risco de doenças cardiovasculares”, alerta Geraldo Lorenzi Filho, médico, pós doutor em Medicina do Sono, e diretor do Laboratório do Sono, do Instituto do Coração (InCor).

De acordo com o médico, os distúrbios de sono são cada vez mais comuns, e a quantidade de horas dormidas por noite está em queda. A falta de contato com a natureza e com a luz do Sol pode ser um dos fatores responsáveis. “Os homens primitivos, que tinham muito mais contato com a natureza e com a luz solar do que hoje, dormiam, em média, de 8 a 9 horas por dia. Hoje, essa média é de 6 horas”, diz.

O especialista lembra, ainda, que outro fator importante para regular o sono é a prática de exercícios físicos. “A necessidade de sono de cada indivíduo é variável. Mas é possível afirmar que a prática esportiva também é benéfica para uma boa noite de sono”.

De acordo com a revista americana Consumer Reports, uma pesquisa — ainda em andamento — sugere mais vantagens sobre a exposição ao sol, como por exemplo a redução do apetite, risco de obesidade, de diabetes tipo 2, e de algumas doenças autoimunes.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.