Coração e Vida | Atividade física ajuda a diminuir cólicas menstruais, diz estudo

Atividade física ajuda a diminuir cólicas menstruais, diz estudo

Especialista explica como a endorfina produzida no exercício pode aliviar a dor. Entenda:

31.08.2019 | por Equipe Coração e Vida
Há terapias direcionadas para cada tipo de problema - Foto: Shutterstock

Endorfina produzina na atividade física melhora dor de cólicas menstruais – Foto: Shutterstock

Nem todo mundo sabe, mas a cólica menstrual pode atrapalhar atividades simples do cotidiano. Por isso, para contornar a condição, é comum recorrer a analgésicos. Mas há novidade: um estudo recente feito pela Universidade Politécnica de Hong Kong, na China, mostrou que a prática regular de exercícios físicos ajuda a diminuir a chamada dismenorreia, ou dor menstrual mais intensa.

Durante o estudo, participaram 70 mulheres entre 18 e 43 anos que sofriam com as cólicas. Elas foram divididas em dois grupos: um seguiu a vida normalmente, sem atividades físicas, e o outro realizou quatro semanas de treinamento aeróbico, três vezes por semana. Os exercícios eram realizados a partir do último dia do período menstrual, até que o ciclo se reiniciasse — sem atividades nos dias em que havia o típico sangramento menstrual. Depois de sete meses, as mulheres que se exercitaram relataram sentir cerca de 20% menos dor e cólicas, em comparação àquelas que não mudaram sua rotina.

Ginecologista e obstetra do Hospital Albert Einstein, Renato Kalil explica que a dismenorreia é uma dor provocada pela liberação da prostaglandina – hormônio responsável por aumentar a contratilidade das fibras do útero para eliminar o endométrio (tecido que reveste internamente o útero). Para esse tipo de cólica, a endorfina (hormônio produzido durante a prática de atividades físicas, relacionado à sensação de bem-estar) tem se mostrado muito eficaz. “A endorfina age contra a prostaglandina e promove o relaxamento do útero, aliviando as dores”, diz Kalil.

O especialista destaca, ainda, que em casos da  chamada dismenorreia secundária, comum em diagnósticos de doenças como mioma e endometriose, o tratamento deve ser feito com remédios anti-inflamatórios, que combatem a prostaglandina. Por isso, é importante ter o diagnóstico correto. Em casos de dores muito fortes e recorrentes, sempre busque atendimento médico especializado.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.