Coração e Vida | Dia do psicólogo: conheça os tipos mais comuns de psicoterapia

Dia do psicólogo: conheça os tipos mais comuns de psicoterapia

Psicanálise, terapia cognitivo-comportamental, psicodrama... afinal, como escolher?

27.08.2018 | por Equipe Coração e Vida

No Dia do Psicólogo, celebrado nesta segunda-feira (27), é importante saber: esse profissional é um grande aliado da saúde mental e emocional, e não deve haver vergonha em procurar psicoterapia para resolver problemas internos, como estresse, luto ou até mesmo dificuldade de relacionamento interpessoal. No entanto, há várias linhas de tratamento e cada uma delas é direcionada a um tipo de perfil.

Há terapias direcionadas para cada tipo de problema - Foto: Shutterstock

Há terapias direcionadas para cada tipo de problema – Foto: Shutterstock

Muitas pessoas negligenciam a necessidade de procurar um psicólogo, mas, diante de dados que nos últimos 12 meses uma a cada cinco pessoas apresentaram problemas de saúde mental, e que 30% das pessoas já tiveram algum desses problemas ao longo da vida, é mais do que justificável perder o medo de procurar esse profissional.

A psicóloga Maria Alice Fontes, psicóloga e diretora da Clínica Permanente explica que, além dos adultos, as crianças e adolescentes também podem se beneficiar.

“A terapia na infância e adolescência é muito importante, porque auxilia no tratamento de problemas como medos, ansiedade, déficit de atenção, autismo e desregulação de humor. O trabalho do psicólogo é um importante preventivo para o desenvolvimento de transtornos mais graves”.

Além disso, o psicólogo pode auxiliar na orientação de pais para desenvolver relacionamentos mais respeitosos e focados na solução de problemas, em vez de punição.

Veja abaixo os tipos de terapia mais comuns e os direcionamentos de cada um:

1. Psicanálise: Maria Alice explica que é uma terapia criada por Freud, onde geralmente o paciente deita no divã, de costas para o analista, e fala livremente. “O analista busca fazer conexões sobre o que paciente diz, buscando acessar o inconsciente. É boa para tratar problemas profundos e para autoconhecimento”.

2. Terapia Cognitivo Comportamental: de acordo com a psicóloga, essa linha busca tratar problemas objetivos e sintomas de ansiedade, depressão e personalidade, através da compreensão dos pensamentos, sentimentos e comportamentos. “Com a terapia, o paciente passa a entender e tratar as distorções dos seus pensamentos”, diz.

3. Psicodrama: baseado no conceito que todas as pessoas têm papeis na vida, a terapia usa técnicas experienciais, como dramatizações e encenações. “Depois, o terapeuta ajuda o paciente a analisar e enxergar os problemas sob outras perspectivas”, explica Maria Alice.

4. Terapia Junguiana: esse tipo de psicoterapia se baseia no conceito que o inconsciente é coletivo, então se utiliza das análises de sonhos, desenhos e produções do paciente, para encontrar as respostas profundas sobre seus problemas.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.