Coração e Vida | Dores por uso de celular são cada vez mais comuns - Coração e Vida

Dores por uso de celular são cada vez mais comuns

Uso exagerado de smartphones e tablets contribuem para dores agudas na região cervical; saiba como evitar

12.06.2018 | por - Equipe Coração e Vida

Com a popularização dos celulares e tablets, tem aumentado o número de pessoas que se queixam de dores na região do pescoço e da nuca. A relação é mais lógica: tem-se utilizado cada vez mais os celulares para ler, trocar mensagens e assistir vídeos – e a postura é que sofre.

ESPECIAL VIDA DIGITAL: Apps para a saúde / Tecnologia em prol da saúde / Contato online médico/paciente / Como a tecnologia ajuda a mudar vidas

A posição habitual mantida enquanto o aparelho é usado faz com que ocorra uma sobrecarga nos músculos que sustentam a cabeça.

O problema se tornou tão comum que tem sido tratado como uma epidemia mundial, chamada de “Text Neck Syndrome” (uma “síndrome de pescoço de quem usa celular”).

 

O "Text Neck", as dores na região cervical por uso de celulares, já é tratado como epidemia. Foto: Shutterstock

O “Text Neck”, as dores na região cervical por uso de celulares, já é tratado como epidemia. Foto: Shutterstock

 

Tratam-se de dores especialmente na região cervical, mas também na cabeça, que costumam aparecer após longos períodos de inclinação exagerada do pescoço durante o uso de celulares e tablets.

Para Alan Douglas, fisioterapeuta, ainda são necessários mais estudos biomecânicos que comprovem a relação direta entre as dores no pescoço/cabeça e o uso desses aparelhos. No entanto, ele concorda que tem havido um considerável aumento na utilização e na dependência desses dispositivos, gerando dores mais fortes com o passar do tempo caso nada seja feito.

 

Postura correta

Não é difícil perceber como nossa postura é afetada pelo uso de celulares e tablets. Um dos principais problemas, de acordo com os médicos, é que temos condicionado o olhar e a postura à posição dos aparelhos, quando o recomendável é justamente o contrário.

Quando se está sentado, por exemplo, o ideal é levantar o celular na altura mais próxima possível dos olhos. Assim, o usuário evita inclinar a cabeça para frente. Para isso, é bom procurar apoiar também o braço que segura o aparelho de modo a evitar dores em outros músculos.

“Recomenda-se olhar para o telefone segurando suas costas em uma posição neutra, e não tensa, com as orelhas alinhadas com os ombros e escapulas retraídas”, ressalta o fisioterapeuta.

 

Exagero no uso

Muitas vezes, a postura nem é assim tão ruim, ainda que inadequada. O excesso de tempo destinado ao uso desses aparelhos, no entanto, contribui fortemente para que o “Text Neck” apareça.

Douglas ressalta que a utilização desses dispositivos deve ser desencorajada e controlada, principalmente entre crianças e adolescentes. Ainda mais quando se leva em consideração que o sedentarismo tem relação direta com o uso exagerado de celulares, tablets e notebooks.

“O tempo de tela é o comportamento que mais contribui para o tempo de inatividade do indivíduo, associando a efeitos prejudiciais à saúde (depressão, ansiedade, obesidade, problemas no comportamento social)”, explica.

O fisioterapeuta ressalta ainda que, em casos mais graves, apenas a mudança de postura e hábitos não é suficiente para diminuir as dores causadas pelo “Text Neck”. Nesse caso, é preciso partir para tratamentos mais incisivos.

“Se a mudança da postura já não é suficiente, é preciso fazer uma avaliação para restabelecer a função correta e suprimir um possível quadro de dor. Os resultados são bons e rápidos quando é identificado o problema e estabelecido um programa de tratamento”, completa.

 

Confira algumas dicas para evitar o surgimento do “Text Neck”, mas fique atento e, se as dores persistirem, procure um profissional qualificado:

– Evite períodos longos e na mesma posição ao usar o smartphone;

– A cada uma hora, levante, faça uma pausa de 10 minutos e busque, inclusive, descansar os olhos;

– Levante o celular ou tablet até a altura dos olhos e mantenha a coluna ereta;

– Evite passar longos períodos respondendo mensagens ou utilizando redes sociais. Procure alternar as atividades.

 

Texto
Thassio Borges

 

Leia mais:

Dores na coluna: 10 fatores que pioram o problema

Deixe seu comentário

1 comentário

  1. Alonso Higino disse:

    Leitura muito oportuna. Obrigado por vocês existirem.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.