Coração e Vida | Temperaturas baixas aumentam o risco de infarto e AVC

Dr Kalil responde: por que temperatura baixa aumenta risco de infarto?

Entenda o porquê e saiba como se prevenir ainda nesse inverno

18.07.2019 | por Equipe Coração e Vida
 Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Você sabia que o frio aumenta em 30% o risco de infarto e acidente vascular cerebral (AVC), principalmente quando a temperatura está abaixo dos 14C? Este é um dado importante do Instituto Nacional de Cardiologia (INC); por isso, é preciso estar alerta.

De acordo com o cardiologista Roberto Kalil, diretor do Instituto do Coração (InCor) e do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para se proteger de temperaturas baixas, o corpo ativa mecanismos que causam a contração das artérias e, consequentemente, o aumento da pressão arterial.  Os receptores nervosos localizados na pele, ao sentirem a temperatura baixar, estimulam a liberação de substâncias que contraem os vasos sanguíneos para manter a temperatura corporal em 36 C. Esse estreitamento dos vasos sanguíneos obriga o coração a fazer mais força para bombear o sangue pelo corpo .

Com isso, a  pressão sanguínea sobre os vasos mais estreitos aumenta, o que facilita o desprendimento de placas de gordura que podem estar dentro das artérias. Quando a placa de gordura se desprende, o  fluxo de sangue para coração e para o cérebro pode ser bloqueado — na maioria das vezes, a principal razão do infarto.

Por isso, pessoas que têm colesterol alto, sedentárias, obesas e diabéticas devem redobrar cuidados e atenção, pois são consideradas ainda mais propensas a sofrerem a condição.  “Além de aumentar a incidência de infartos no inverno, sua intensidade também é maior. Motivo pelo qual idosos, hipertensos e cardiopatas devem ficar mais atentos”, enfatiza.

Outro ponto agravante diz respeito à hidratação. Durante o inverno, as pessoas tendem a beber menos líquido, o que favorece as chances de formação de coágulos, e até o fechamento das artérias do cérebro, causando AVC, e as do coração, contribuindo para o infarto.

Mais:
Outono-inverno e a temporada de doenças respiratórias

Para se prevenir, é importante estar sempre bem hidratado, controlar as condições listadas acima (vistas como fatores de risco para doenças cardiovasculares), fazer exercícios – mesmo com as temperaturas baixas – e se alimentar de forma saudável, evitando gorduras e alimentos ultraprocessados.

O Dr. Kalil destaca, ainda, a importância de ter cuidado com os vírus que circulam nesta época do ano. Estudos recentes mostram que há relação entre infecções virais, como a gripe, e o aumento do risco de infarto. “Alguns trabalhos científicos mostram que infecções virais respiratórias aumentam entre 3 e 10 vezes a chance de infarto. Uma das hipóteses é que vírus em geral podem causar inflamação e trombose, o que aumenta a chance de infarto agudo do miocárdio”, explica.

Mais:
Asma: saiba como prevenir e controlar a inflamação dos brônquios

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

1 comentário

  1. Aureni Bahia de Paula disse:

    SINTO DOR NO PEITO SEMPRE QUANDO FORÇO NAS CAMINHADA, JA FIZ ATE CATETERISMO TENHO PLACAS PEQUENAS DE GORDURA ME MEDICARAM COM AAS E SINVASTATINA DE 20 MG. ESTA CORRETO

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.