Coração e Vida | Entenda o estresse intenso da Síndrome de Burnout - Coração e Vida

Entenda o estresse intenso da Síndrome de Burnout

É um estado de exaustão tão grave que chega a causar problemas físicos. Mas tem prevenção

28.05.2018 | por - Equipe Coração e Vida

A maioria de nós já sentiu empolgação com o trabalho, seja por começar em um novo cargo, desempenhar outras funções, iniciar um projeto. E então, com o passar do tempo, a pessoa fica cada vez mais exausta – e pensar sobre o emprego leva a um sentimento de tristeza e agonia. Essa é a Síndrome de Burnout.

A palavra vem do inglês e, na tradução, denota o sentimento das pessoas que sofrem desse estresse que chega ao grau mais intenso: o de “queimar” por dentro, uma sensação extrema de incômodo que chega a se tornar uma dor física.

 

Antes de chegar a perceber os sintomas físicos, o melhor é se prevenir contra o Burnout. Foto: Shutterstock

Antes de chegar a perceber os sintomas físicos, o melhor é se prevenir contra o Burnout. Foto: Shutterstock

 

“A exaustão acarreta sintomas como dores de cabeça, fadiga crônica, distúrbios gastrointestinais e no sono, tensão muscular, hipertensão, propensão a gripes”, observou a pesquisadora norte-americana Christina Maslach, da Universidade de Berkeley, na Califórnia, que trabalhou em diversos estudos no tema.

Recuperar-se do Burnout não é simples – muitas pessoas chegam a precisar de apoio psiquiátrico e psicológico, medicamentos e afastamento do trabalho ou da situação que serviu de gatilho.

Mas existem formas de prevenção e mudanças de hábitos antes que o Burnout aconteça:

 

  • Trabalhe de modo mais inteligente – nem sempre é fácil organizar completamente o tempo e as tarefas e diminuir as horas trabalhadas. Mas deve existir essa intenção. Aplicativos e ferramentas que resolvam atividades de modo mais eficiente são bem-vindos.

 

  • Desconecte – Também não é algo simples nos dias de hoje. Mas combinar com os colegas de trabalho e superiores que vai existir o tempo off-line, sem responder solicitações, é importante. O tempo fora do escritório é precioso para a saúde mental.

 

  • Diga “não” às redes sociais – O perigo é que sempre vai haver um tema nas mídias digitais ligado ao trabalho. Ou às pessoas do trabalho. E isso não deixa a mente espairecer. Distanciar um pouco desse ambiente é um ganho na qualidade de vida.

 

  • Relaxe de verdade – Dê um tempo real a si mesmo, sem culpa, horários e obrigações; e isso deve acontecer nem que sejam 10 minutos todos os dias. É o momento de acalmar o cérebro – e talvez dar um passeio após o almoço, ouvir uma música, tomar um suco com calma.

 

Texto
Flávia Pegorin

 

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

 

Leia mais:

Estresse, ansiedade e depressão: conheça sintomas e tratamento

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.