Coração e Vida | Evento celebra os 50 anos do primeiro transplante de coração no Brasil - Coração e Vida

Evento celebra os 50 anos do primeiro transplante de coração no Brasil

Na comemoração, o cardiologista Roberto Kalil Filho lembrou sobre o papel fundamental da doação de órgãos

25.05.2018 | por - Equipe Coração e Vida

Um transplante de coração envolve desafios técnicos, clínicos e até mesmo financeiros. Imagine, então, a revolução que o procedimento causou há 50 anos, quando foi realizado pela primeira vez no Brasil – um feito comemorado hoje em um evento organizado pelo Instituto do Coração com a presença de médicos, pacientes e autoridades.

No dia 26 de maio de 1968, o país entrou para o rol dos pioneiros nesse tema quando os médicos ouviram os batimentos do coração transplantado de João Ferreira da Cunha, conhecido como João Boiadeiro, no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

 

Os médicos Roberto Kalil Filho e Fabio Jatene celebraram o cinquentenário de um feito histórico. Foto: Divulgação

Os médicos Roberto Kalil Filho e Fabio Jatene celebraram o cinquentenário de um feito histórico. Foto: Divulgação

 

O procedimento histórico, que iniciou uma nova etapa na cardiologia brasileira, contou com as equipes dos professores Euryclides de Jesus Zerbini (o primeiro da América Latina a realizar a cirurgia toráxica para transplante de coração) e Luiz Venere Décourt (clínico cujo trabalho ajudou a colocar os alicerces do que viria a ser, em 1977, o InCor).

O evento que celebrou os 50 anos do primeiro transplante cardíaco lembrou ainda os 40 anos da instituição que, em 2016, rompeu a barreira dos mil transplantados cardíacos – firmando o InCor como o 7º centro que mais transplanta coração de adultos no mundo.

 

A decisão correta no momento difícil

Durante a cerimônia de celebração, o presidente do InCor, Dr. Roberto Kalil Filho, lembrou sobre a importância de uma ação que, na verdade, precede essencialmente a operação em si: a doação de órgãos.

“Temos muito a agradecer às pessoas que doaram órgãos, permitindo o InCor fazer sua parte. Isso me orgulha não apenas como médico e como presidente desta instituição, mas como brasileiro”, disse.

O evento contou ainda com a presença do Dr. Fabio Janete, diretor da divisão de cirurgia cardíaca e vice-presidente do conselho diretor do InCor, e entregou medalhas de comemoração a diversos médicos como um reconhecimento a todas as equipes que, ao longo dos anos, atuaram para levar vida nova aos pacientes.

 

Texto
Flávia Pegorin

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.