Coração e Vida | Hospital lança campanha de prevenção de cardiopatias em mulheres

Hospital lança campanha de prevenção de cardiopatias em mulheres

Ação pede novo olhar sobre o coração

8.03.2016 | por Equipe Coração e Vida

No Dia Internacional da Mulher, o Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês lançou, em São Paulo, uma campanha voltada à saúde feminina, com o apoio do diretor da unidade, o cardiologista Roberto Kalil Filho.

As iniciativas propõem um novo olhar sobre o coração e visam difundir informações sobre prevenção e tratamento correto de doenças cardiovasculares entre o público feminino.

Da esq. para a dir., dra. Marianne Pinotti, dra. Roberta Saretta, dr. Roberto Kalil Filho, dra. Claudia Cozer, dra. Laura Testa e dra. Amanda Rodrigues - Foto: Tathiana Barbar

Da esq. para a dir., dra. Marianne Pinotti, dra. Roberta Saretta, dr. Roberto Kalil Filho, dra. Claudia Cozer, dra. Laura Testa e dra. Amanda Rodrigues – Foto: Tathiana Barbar

“A mulher costuma ir ao ginecologista anualmente, mas ignora que é preciso procurar um clínico cardiologista para avaliar riscos de problemas cardíacos”, disse Kalil.

Segundo o cardiologista, os números das doenças coronarianas entre as mulheres apontam para a necessidade de intervenção imediata. “É um mito que a mulher não infarta. A conscientização é muito importante porque a mulher infarta da mesma maneira que o homem.”

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que um terço de todas as mortes de mulheres ocorre por causa de doenças do coração. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), há 50 anos, as mulheres brasileiras representavam apenas 10% das ocorrências cardíacas, mas hoje este número subiu para 48%.

A cardiologista do Hospital Sírio-Libanês Roberta Saretta afirmou que o aumento de ocorrências se deve a uma maior exposição das mulheres aos fatores de risco cardíacos, como estresse, colesterol alto, hipertensão arterial, tabagismo e sedentarismo. “A maioria das mulheres não tem consciência desse risco.”

O lançamento da campanha também contou com a presença de médicas comprometidas com a prevenção de problemas cardíacos nas mulheres. Elas irão integrar o futuro serviço de avaliação direcionado ao coração da mulher do Sírio-Libanês. São as médicas Claudia Cozer Kalil, do Núcleo de Obesidade e Transtornos Alimentares; Amanda Rodrigues, da cardiologia do exercício; Marianne Pinotti, ginecologista e obstetra; e Laura Testa, oncologista clínica.

Todas essas especialidades irão auxiliar a evitar a doença cardíaca no público feminino, incentivando a realização de exercícios físicos, avaliando risco de diabetes e tratando a obesidade, que são fatores de risco para problemas cardiovasculares.

A presença de uma oncologista no grupo chama a atenção para o risco de desenvolvimento de doenças no coração entre as mulheres que fazem tratamento para o câncer de mama. De acordo com Laura Testa, o uso de medicamentos contra tumores pode causar problemas cardíacos e isso não pode ser negligenciado.

“Antes, a paciente se curava do câncer e tinha uma doença coronariana lá na frente. Agora, cuidamos para que isso não aconteça com ajustes na medicação e apoio da equipe de cardiologia.”

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

 

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.