Coração e Vida | Meditação atencional: você sabe o que é?

Meditação atencional: você sabe o que é?

Prática visa desenvolver atenção por meio das técnicas de mindfulness (atenção plena). Veja como é fácil praticá-la

23.07.2019 | por Equipe Coração e Vida

 

Melhor meditar cinco minutos todos os dias do que 30 um dia só e desistir - Foto: Pixabay - Creative Commons CC0

Melhor meditar cinco minutos todos os dias do que 30 um dia só e desistir – Foto: Pixabay – Creative Commons CC0

Por Sofia Pilagallo

A meditação é uma prática milenar que consiste em manter a mente no presente. Para isso, há quem recorra em focá-la em um objeto, pensamento ou em uma atividade em particular — a fim de alcançar determinado estado de consciência no qual é possível entrar em contato consigo mesmo, e aprender a lidar melhor com o estresse do dia a dia.

A origem da prática é incerta, mas sabe-se que a meditação se propagou entre vários povos e culturas distintas do Oriente, e ganhou ainda mais popularidade com a expansão das escolas de ioga mundo afora. O desejo por uma vida mais plena, saudável e equilibrada também impulsionou a prática.

A palavra ‘meditação’ tem origem no latim meditare, ou ‘voltar-se para o centro’ o que, na prática, significa desconectar-se do exterior e concentrar a atenção plena no interior.

Para o pesquisador Richard Davidson, existem três tipos de práticas meditativas: as atencionais, que visam desenvolver atenção plena (grupo no qual se encaixam as técnicas de mindfulness); as construtivistas, que buscam gerar afeto positivo (grupo no qual se encaixam as técnicas de visualização, isto é, pensar e sentir o que se quer alcançar); e as desconstrutivistas, que têm como objetivo gerar reflexão (grupo no qual se encaixam os exercícios de autoquestionamento).

A meditação atencional é simples de ser praticada. Diferentemente de outras modalidades, esta não requer mantras ou meditações guiadas: basta um “ponto de apoio” (ou “referência”), chamado de ‘âncora’ — lugar para o qual a atenção é levada. A âncora mais conhecida é a própria respiração, mas também é possível se concentrar em uma das partes do corpo. Este exercício permite que o indivíduo desenvolva a capacidade de observar a si mesmo e ter consciência de seus próprios processos mentais e emocionais desenvolvendo, assim, maior inteligência emocional.

A prática contínua da meditação traz diversos benefícios para saúde. “É valiosa no controle da dor crônica, depressão e ansiedade, bem como no controle da hipertensão arterial”, explica Roque Marcos Savioli, cardiogeriatra do Instituto do Coração HC-FMUSP.  De acordo com o especialista, também exerce influência positiva no controle da obesidade e da compulsão alimentar.

Como se não bastasse, praticantes de meditação também se atentam à melhora da qualidade do sono e redução do estresse. De acordo com o Dr. Savioli, a meditação também é um excelente  coadjuvante no tratamento de varias doenças crônicas, entre elas as doenças cardiovasculares.

Com tantos benefícios para a saúde, com a ajuda do especialista, o site Coração & Vida selecionou um guia prático e fácil para a realização da meditação atencional de forma correta. Confira:

– Programe o alarme
Saiba por quanto tempo deseja meditar. Se for iniciante, comece com sessões de 3 a 5 minutos. Com o tempo, vá aumentando até chegar a um período de meia hora ou mais, se desejar.

– Sente-se com a coluna reta
Esta é a postura ideal para se concentrar apenas na respiração.

– Incline o queixo  para baixo
A prática também ajuda a se concentrar na respiração.

– Não se preocupe com as mãos
Deixa-las encostadas no colo, ou soltas ao lado do corpo não irá interferir na prática. Busque conforto.

– Mantenha a boca fechada ao respirar
Inspire e expire sempre pelo nariz.

– Concentrese na respiração.
Mantenha o pensamento no ato de expandir e contrair os pulmões, de modo com que o ar entre e saia pelas narinas. Concentrar-se no som da respiração também é importante. Se a atenção se desviar, traga-a de volta e continue normalmente.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.