Coração e Vida | Óleo de coco no cabelo requer prudência - Coração e Vida

Óleo de coco no cabelo requer prudência

Produto pode ser aplicado, mas não de qualquer forma

24.01.2018 | por Thassio Borges - Equipe Coração e Vida

A internet é um verdadeiro celeiro de “soluções” e “remédios caseiros” destinados aos mais diversos fins, seja para a saúde ou para a estética. Nesse sentido, uma das opções recomendadas em diversos canais digitais é a aplicação de óleo de coco nos cabelos.

A prática traria benefícios, deixando o couro cabeludo saudável e os fios mais nutridos e fortes. Além disso, o óleo de coco contém vitaminas K e E, assim como o ferro, o que fortalece seu uso diante de tantas opções artificiais nas prateleiras. Ao menos é o que sustenta quem diz usar o produto dessa forma.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Como a orientação é de sempre consultar um médico e desconfiar das soluções apresentadas como fáceis, o Coração & Vida consultou uma especialista para verificar se há, de fato, benefícios no uso do óleo de coco no cabelo.

Segundo a dermatologista Adriana Vilarinho, membro das Sociedades Brasileiras de Dermatologia e também de Cirurgia Dermatológica, o óleo de coco pode trazer benefícios se aplicado no cabelo, mas diversos cuidados devem ser observados. Além disso, dependendo do tipo de cabelo, as consequências de sua utilização podem não compensar.

“O óleo de coco, devido à sua alta afinidade pelas proteínas do cabelo, baixo peso molecular e estrutura de cadeia, consegue penetrar na fibra capilar. Em alguns estudos, mostrou ser capaz de diminuir a perda de proteína em cabelos danificados, quando usado antes ou após as lavagens. No entanto, pode deixar um aspecto oleoso ou pesado em alguns cabelos”, explicou a especialista, que também faz parte da American Academy of Dermatology.

Um dos principais cuidados a ser observado por quem deseja aplicar o produto diz respeito justamente à frequência da prática.

Segundo Vilarinho, não é recomendável utilizar a substância com muita frequência, tampouco deixar que o óleo fique no cabelo por muito tempo.

Além disso, a dermatologista não recomenda o óleo de coco em pessoas cujos cabelos são muitos finos. “Justamente por deixar um aspecto pesado [nos fios]”, complementa.

O óleo de coco é encontrado em embalagens simples, vendido em supermercados e também em drogarias, graças ao hábito que se criou de usá-lo na cabeça.

Para Vilarinho, no entanto, o produto não deve ser utilizado em sua forma pura.

“O ideal é usar máscaras ou condicionadores que possuam esse óleo. O mesmo pode ser aplicado em pouca quantidade na haste capilar. Após utilizar o óleo de coco, deve-se lavar bem o cabelo, para a retirada completa do produto”, explica.

O prejuízo para quem se excede no uso do óleo de coco nos cabelos não fica restrito ao aspecto “pesado” dos fios.

De acordo com a especialista, se deixado em excesso no couro cabeludo ou até mesmo no fio, o produto pode causar coceira, descamação e deixar o cabelo enrijecido. Em casos mais graves, pode ocorrer até mesmo a queda de cabelo.

Se você utilizou o óleo nos cabelos e percebeu alguns dos sintomas descritos, suspenda imediatamente seu uso e procure um dermatologista. Os benefícios existem, desde que o produto seja aplicado da forma correta, seguindo as orientações e cuidados de quem realmente entende do assunto.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.