Coração e Vida | Outubro Rosa: câncer de mama mata cerca de 14 mil mulheres

Outubro Rosa: câncer de mama mata cerca de 14 mil mulheres anualmente no Brasil

Diagnóstico precoce garante até 97% de chances de cura da doença. Especialista explica como fazê-lo e principais sintomas da doença

1.10.2019 | por Equipe Coração e Vida

shutterstock_153061814_breast
Outubro é conhecido internacionalmente como o mês de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama — e mais recentemente sobre o câncer de colo do útero.

Somente no Brasil, cerca de 14 mil mulheres morrem por ano em decorrência da doença, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). É a quinta causa de morte por câncer em geral, e a causa mais frequente de morte por câncer em mulheres.

Mais: 
Outubro Rosa: entenda a importância da campanha que salva vidas

Mastologista e professor da faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Alfredo Barros afirma que as estatísticas podem melhorar se a população feminina se conscientizar da importância dos exames de controle. Quando o tumor é descoberto na fase inicial, geralmente ainda pequeno, e que não migrou para outros órgãos do corpo, as chances de cura chegam a 97%.

A realização do autoexame da mama é uma forma de reconhecer o câncer, principalmente para mulheres que não têm acesso fácil à mamografia. Ele é feito apalpando os seios que pode identificar a presença de caroços semelhantes a pequenas bolinhas de vidro. O autoexame deve ser realizado uma vez por mês, até uma semana depois do início da menstruação.  No entanto, Alfredo Barros destaca que, na maioria dos casos, a doença é diagnosticada quando o tumor já tem um tamanho importante ou até gerou metástases.

“A partir dos 40 anos, todas as mulheres devem realizar mamografia ao menos uma vez ao ano. Isso permite o diagnóstico precoce, o que aumenta muito as chances de cura da paciente”, explica o médico.

Mais:
Outubro Rosa: o que você precisa saber sobre câncer de mama

Assim como alguns outros tipos de câncer, o de mama é causado por uma disfunção do ritmo de multiplicação das células, e pode ou não ser passado de mãe para filha – dados mostram que de 5% a 10% dos casos estão relacionados à hereditariedade. Logo, a maior fração de casos da doença tem origem ambiental. De acordo com o especialista, acredita-se que fatores como poluição, agrotóxicos, uso exagerado de pílulas anticoncepcionais e alimentação inadequada estejam ligados ao desenvolvimento de câncer — incluindo o de mama.

Sintomas do câncer de mama
O sintoma mais comum é o aparecimento de nódulos no seio. Outros sinais que podem indicar a doença são alterações na pele ou no mamilo, aparecimento de gânglios palpáveis nas axilas e saída de secreção transparente ou sanguinolenta das papilas mamárias. É preciso estar atenta (o). Se há suspeitas e dúvidas, é preciso buscar orientação médica o mais breve possível. O tratamento é personalizado e, dependendo do estágio da doença, pode ser feito com cirurgia, quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia e/ou terapia biológica.

Mais: 
Conheça os tipos de câncer de mama

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.