Coração e Vida | Poluição atmosférica pode afetar fertilidade masculina - Coração e Vida

Poluição atmosférica pode afetar fertilidade masculina

85% dos casos são reversíveis, aponta especialista. Entenda:

28.05.2019 | por Equipe Coração e Vida

 

Poluicao_

Meninos devem buscar médico andrologista desde a puberdade, e homens adultos devem fazer, ao menos, um espermograma por ano

Além de causar problemas respiratórios, a poluição do ar também pode afetar a fertilidade masculina. É o que comprova uma série de pesquisas realizadas pelo Grupo de Estudos de Saúde Masculina, da Universidade de São Paulo. A última delas — concluída neste mês de maio e aguarda publicação — mostra que a contínua exposição a poluentes atmosféricos prejudica a produção de espermatozoides. Em 2017, outro estudo realizado em São Paulo, pela mesma equipe, já havia mostrado que a poluição do ar também diminui a capacidade de o microgameta se locomover em direção ao óvulo.

Coordenador do grupo, o andrologista Jorge Hallak destaca que 85% dos casos de infertilidade podem ser revertidos. A recuperação é viável até certo grau, por isso, quanto antes o problema for descoberto, mais fácil será reverte-lo. “É muito importante incentivarmos que os meninos comecem a ver um andrologista desde a puberdade, e que os homens adultos façam ao menos um espermograma por ano”, explica o médico.

De acordo com especialista, o tratamento dura de três a seis meses, e envolve o uso de medicamentos e mudança no estilo de vida — fatores como obesidade e uso de drogas também interferem na fertilidade masculina. Para se ter ideia, o esperma dos homens obesos é mais pobre em espermatozoides, o que pode ter impacto direto sobre sua fertilidade.

Considera-se poluente qualquer substância, sob a forma de gás ou partículas, presente no ar que, por sua concentração, possa torná-lo impróprio ou nocivo à saúde, causando mal estar público, danos aos materiais, à fauna e à flora.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, as maiores causas da introdução de substâncias poluentes à atmosfera são provenientes de processos industriais, geração de energia, de veículos automotores e de queimadas. É importante destacar também o cigarro, os metais e os pesticidas.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.