Coração e Vida | Síndrome de Burnout pode levar ao ganho de peso, diz estudo

Coração e Vida

Síndrome de Burnout pode levar ao ganho de peso, diz estudo

Doutora em Saúde Mental, Maria Alice explica sobre a doença e como a comida pode se tornar opção de fuga para pessoas que têm o transtorno

16.09.2019 | por Equipe Coração e Vida

 

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

O transtorno causado pelo esgotamento profissional, conhecido como síndrome de Burnout, está relacionado com o ganho de peso. Este é o dado mais recente mostrado em estudos divulgados pelo National Center for Biotechnology Information (NCBI) e pelo Journal of Health Psychology (JHP). De acordo com os trabalhos, pacientes diagnosticados com a condição tendem a desenvolver compulsão alimentar e a serem menos ativo fisicamente.

Doutora em Saúde Mental, a psicóloga Maria Alice Fontes afirma que, de fato, o burnout pode, sim, estar associado ao ganho de peso.

Em situações de estresse, o corpo humano libera cortisol, o chamado “hormônio do estresse”, também responsável pelo aumento do nível de produção de insulina causando causando, assim, desequilíbrio em todo o sistema metabólico. Além disso, o paciente pode ficar com vontade de comer mais, achando que isso o ajudará a se sentir melhor.

Mais:
Entenda o estresse intenso da Síndrome de Burnout

Maria Alice explica que a síndrome de Burnout pode ser definida como um estresse crônico, especificamente ligado a questões de trabalho que atinge o esgotamento emocional. “A pessoa sente que não tem mais energia, perde os recursos emocionais para lidar com as situações do dia a dia, e vai ficando desapontada, com sentimento de incapacidade e de insuficiência”, diz. “E a tendência é o desenvolvimento de uma depressão”, aponta.

Além do apetite, a síndrome pode afetar o sono e o prazer na realização de atividades. É importante entender que pessoas que sofrem com o transtorno precisam de ajuda psicológica. Em geral, o tratamento médico inclui o uso de medicamentos, além de acompanhamento psicoterapêutico para ajuda-lo a lidar com situações de estresse.

Mais: 
Brasileiro é o segundo mais estressado do mundo, diz Roberto Kalil

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.