Coração e Vida | Veja como reduzir carboidratos da alimentação

Veja como reduzir carboidratos da alimentação

Nutricionista explica que o primeiro passo é diferenciar os simples dos complexos. Mas não é só isso. Entenda:

7.10.2019 | por Equipe Coração e Vida

shutterstock_1163159788__carbo

 

 

Conhecido como o grande inimigo da balança, o carboidrato não é este vilão que se pinta por aí. De forma geral, os carboidratos não devem ser evitados, e, sim, consumidos com moderação. A ressalva é com relação à qualidade e quantidade destes alimentos.

Isto porque, nem todo mundo sabe, há dois tipos deste grupo alimentar essencial para o bom funcionamento do organismo: os carboidratos simples, cuja absorção é rápida, gerando pico de glicemia (açúcar) no sangue, e os complexos, digeridos mais lentamente, sem alta liberação de insulina.

Mais:
Conheça 10 opções de carboidratos bons para substituir o arroz ou o pão branco

Mas, na prática, são bons? Ruins? Quais são estes alimentos?

Para tirar estas dúvidas e ainda dar dicas saudáveis de como diminuir e melhorar o consumo de carboidratos, Coração & Vida conversou com a nutricionista do Instituto do Coração (InCor), Anna Carolina Di Creddo. De acordo com a especialista, de 50% a 60% do valor calórico total de uma dieta deve ser proveniente de carboidrato. Mas a prioridade de consumo deve ser dos chamados complexos, ricos em fibras, vitaminais e minerais.

Por apresentarem tais características nutricionais, os carboidratos complexos também auxiliam no funcionamento intestinal, ajudam a controlar a glicemia e os níveis do colesterol no sangue. Além disso, por conta das fibras, são digeridos mais lentamente e, consequentemente, não demandam alta liberação de insulina – o que promove saciedade por mais tempo. São exemplos de carboidratos complexos: tubérculos, como batata doce e inhame, grão de bico, frutas e feijão.

Já os conhecidos como simples, são rapidamente absorvidos pelo organismo, gerando pico de glicemia (açúcar) no sangue. Isso faz com que o hormônio insulina seja liberado em grande quantidade para retirar o excesso de açúcar da corrente sanguínea – o que está diretamente relacionado com o acúmulo de gordura corporal. São exemplos de carboidratos simples: pães, salgados em geral, biscoitos, farinha branca, arroz branco etc.

Mais: 
4 carboidratos que ajudam no emagrecimento

Mas é possível fazer escolhas mais saudáveis e diminuir o consumo. Se há exagero no consumo de pão, por exemplo, é possível substitui-lo por consumo moderado de tapioca. Não gosta ou está em uma dieta mais restritiva? Opte, então, pelo cuscuz. O consumo de arroz branco ou até integral pode ser diminuído com o acrescimento do purê de mandioquinha. Massas com farinha integral, batata-doce, mandioca, inhame e banana também podem entrar no cardápio. “Mas, claro, tudo com moderação”, enfatiza a especialista.

E para quem quer emagrecer de forma saudável, o indicado é reduzir o valor calórico total da dieta. De acordo com o guia alimentar ‘A Pirâmide dos Alimentos’, a recomendação é que um adulto consuma de 5 a 9 porções de carboidrato por dia. Uma porção equivale, por exemplo, a uma batata média ou a quatro colheres de sopa de arroz (prefira o integral).

Portanto, manter uma alimentação equilibrada, com moderação e sem restrições, é importante. “Dietas que excluem algum grupo alimentar são desbalanceadas e podem levar à perda de peso de forma não saudável”, diz a nutricionista.

Revisão técnica
Prof. Dr. Max Grinberg
Núcleo de Bioética do Instituto do Coração do HCFMUSP
Autor do blog Bioamigo

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.
* Campos obrigatórios.

Esse site é melhor visualizado no modo Portrait.

Esse site é melhor visualizado no modo Landscape.